Calouradas II

30/03/2011

Uma conversa informal com direito à música e poesia.
Essa descrição cabe perfeitamente à atividade organizada pelo GTUP: “Universidade e Movimentos Sociais: a experiência do EIV-RS” realizada na TOCA, subsolo do Instituto de Letras, na manhã de quarta-feira (30/03). O EIV é uma atividade (organizada por diversos grupos, entre os quais, o GTUP) na qual estudantes universitários passam cerca de vinte dias na casa de famílias de movimentos sociais do campo a fim de conhecer a realidade e os desafios enfrentados cotidianamente. A idéia de trazer os relatos dos estudantes que participaram do II EIV-RS surgiu para reforçar o argumento de que a universidade deve assumir um papel transformador ao mesmo tempo que é, pela sociedade, transformada.

A atividade iniciou com uma apresentação sobre o que é o EIV-RS e quais são os seus princípios e objetivos. Em seguida, foram tocadas algumas músicas que nortearam as atividades durante o II EIV-RS como, por exemplo, “Assim ja ninguém chora mais” do Zé Pinto. Em um terceiro momento os estagiários contaram sobre as vivências nos movimentos sociais do campo (MST, MAB, MPA e MMC) e expuseram suas reflexões sobre a importância do contato entre o conhecimento acadêmico e os movimentos sociais.

O espaço contou com a presença de alguns estudantes que ouviram a narração dos participantes do EIV e também puderam expôr suas impressões contribuindo para um ambiente agradável e descontraído.

Anúncios

Calouradas I

29/03/2011

No dia 29/03, o GTUP organizou uma atividade de recepção aos calouros da UFRGS no Auditório do ILEA (Campus do Vale). Reunindo cerca de quarenta estudantes, professores e servidores, o debate pautou a questão do desenvolvimento científico em uma universidade pública, tendo como título: “Ciência e Tecnologia: é possível um conhecimento público e emancipatório?”.

O ponta-pé inicial foi dado pela Prof. Sueli Goulart da Escola de Administração, que tratou com muita propriedade as contradições existentes entre a produção e a apropriação do conhecimento. Em sua exposição, Sueli apresentou a irônica lógica dos periódicos indexados, que, além de por vezes controlados por empresas de comunicação de massa, criam um sistema em que a esfera pública precisa abdicar de direitos autorais para posteriormente adquiri-los na forma de base de dados. A fala de Sueli foi seguida da apresentação de Martín Zamora, do Núcleo de Economia Alternativa da UFRGS. Nela, pode-se desenvolver a crítica ao modelo tecnicista de tecnologia e inovação, que, oculto na idéia de neutralidade científica, opera em favor da manutenção da ordem vigente e dos que dela se beneficiam. Além disso, Martín nos trouxe um pouco da experiência da Incubadora Tecnológica Popular e de outras iniciativas do NEA. Por fim, Jorge Quillfeldt, do Instituto de Biociências, animou a platéia com uma fala ao mesmo tempo densa e descontraída. Jorge analisou o desenvolvimento da ciência nos últimos séculos, diferenciando os avanços na pesquisa básica, na pesquisa aplicada e no desenvolvimento tecnológico. Reconhecendo esses avanços, o Prof. ponderou que a crítica à sociedade atual não pode renunciar ao progresso científico, mas deve valer-se dele para transformá-la radicalmente. Ao final, seguiram-se diversas intervenções do público, que manifestaram o interesse pela experiência do NEA, a crítica das hierarquias universitárias, a desilusão com o mundo e a vontade de mudá-lo. De uma forma geral, a atividade teve um saldo muito positivo, tanto pelo quorum como pela qualidade do debate.


Calouradas lado B – o outro lado do Parque

25/03/2010

Na semana que vem iniciam as atividades das Calouradas promovidas pelo Fórum por um Parque Tecnológico Alternativo. Serão debates em todos os campi, para o qual foram convidados professores, entidades e movimentos sociais com domínio sobre a temática escolhida. A semana se encerra com a segunda Audiência Pública sobre o Parque, na quarta-feira às 18h no Salão Nobre do Direito. Após isso, os participantes se dirigem para o Luau do Outro Lado do Parque, finalizando em ritmo de festa os três dias de intensos debates.
Participe!

SEGUNDA-FEIRA (29/03)

CAMPUS SAÚDE

18h30 – Pra que serve teu conhecimento: produção, distribuição e financiamento da Pesquisa no Brasil – Debatedores: Bernadete de Menezes (ASSUFRGS), Prof. Sueli Goulart (Administração – UFRGS), Cadori (MST).

Local: Anfiteatro Alfredo Leal – Faculdade de Farmácia

TERÇA-FEIRA (30/03)

ESEF
12h – Apresentação do projeto do Parque e pontos críticos
Local: Em frente ao DAEFI.

CAMPUS DO VALE

14h30 – Tecnologia social e novas formas de produção – Prof. Carlos Schimidt (Núcleo de Economia Alternativa – NEA), Prof. Paulo Brack (Biologia -UFRGS), Saraí Brixsner (Movimento de Pequenos Agricultores)

Local: Sala do Pesquisador,111 (ILEA-prédio do IFCH)

CAMPUS CENTRO
18h30 – Universidade pública e o acesso ao conhecimento.

Debatedores: Glauco Ludwig de Araújo (Fórum por um projeto alternativo de Parque), Bernadete de Menezes (ASSUFRGS), ANDES-SN.

Local: Auditório da Faculdade de Economia

QUARTA-FEIRA (31/03)

CAMPUS CENTRO
12h – Apresentação do projeto do Parque e pontos críticos
Local: Em frente à FACED

18h30 – Audiência Pública para discutir o Parque Tecnológico da UFRGS.

Local: Salão Nobre da Faculdade de Direito (Campus Centro)

22h – 00h LUAU do outro lado do Parque (Espaço CERI-DAECA)

Contribuição: R$1,00


Calouradas lado B – O outro lado do Parque

24/03/2010

Na semana que vem iniciam as atividades das Calouradas promovidas pelo Fórum por um Parque Tecnológico Alternativo. Serão debates em todos os campi, para o qual foram convidados professores, entidades e movimentos sociais com domínio sobre a temática escolhida. A semana se encerra com a segunda Audiência Pública sobre o Parque, na quarta-feira às 18h no Salão Nobre do Direito. Após isso, os participantes se dirigem para o Luau do Outro Lado do Parque, finalizando em ritmo de festa os três dias de intensos debates.
Participe!

CALOURADAS lado B – O outro lado do Parque

SEGUNDA-FEIRA (29/03)

SAÚDE
18h30 – Pra que serve teu conhecimento: produção, distribuição e financiamento da Pesquisa no Brasil – Debatedores: ASSUFRGS, Prof. Sueli Goulart (Administração), MST.
Local: Anfiteatro Alfredo Leal – Faculdade de Farmácia(Campus Saúde)

TERÇA-FEIRA (30/03)

ESEF
12h – Apresentação do projeto do Parque e pontos críticos
Local: Em frente ao DAEFI.

CAMPUS DO VALE
14h30 – Tecnologia social e novas formas de produção – Prof. Carlos Schimidt (Economia), Prof. Paulo Brack (Biologia), Movimento de Pequenos Agricultores – Local: Sala do Pesquisador (ILEA)

CAMPUS CENTRO
18h30 – Universidade pública e o acesso ao conhecimento.
Debatedores: Fórum por um projeto alternativo de Parque, ASSUFRGS, ANDES-SN.
Local: Auditório da Economia

QUARTA-FEIRA (31/03)
CAMPUS CENTRO

18h30 – Audiência Pública para discutir o Parque Tecnológico da UFRGS.
Local: Salão Nobre da Faculdade de Direito (Campus Centro)

22h – LUAU do outro lado do Parque (local a confirmar)